Archive for the 'Tutoriais' Category

Instalar placas gráficas Nvidia em Debian

Depois de andar as “cabeçadas” com uma coisa tão simples de fazer, decidi colocar aqui um tutorial de como instalar uma placa gráfica NVIDIA em Debian (este processo da para outras distros).

Para fazer este tutorial usei o Debian Stable.

Vamos la a isto:

01. Vamos verificar a versão do nosso kernel

uname -r

02. Instalar os pacotes necessários para a compilação do driver:

aptitude install linux-headers-`uname -r` build-essential

Substituir o `uname -r` pelo resultado do comando do primeiro passo

03. Ir ao site da nvidia e fazer o download do driver. Faça o download para a sua /home (mais fácil de localizar depois).

04. Após o download do driver, carregamos simultaneamente em ALT+CTRL+F1para entrar no modo texto

05. Logamos como root e vamos parar o ambiente gráfico:

/etc/init.d/gdm stop

Se estiver a usar KDE, o comando seria: /etc/init.d/kdm stop

06. Procuramos o nosso ficheiro e começamos a instalar:

cd /home/utilizador/
sh driver.run

Quando questionado por procurar um kernel no ftp.nvidia opte por não, e no final permita que o instalador modifique o /etc/X11/xorg.conf automaticamente.

07. Iniciamos o ambiente gráfico:

/etc/init.d/gdm start

Se aparecer o logo da nvidia, é porque já temos o nosso driver instalado

08. Apesar do driver já estar instalado, é necessário a inserção de opções extras no xorg.conf:

sudo nvidia-xconfig –composite
sudo nvidia-xconfig –render-accel
sudo nvidia-xconfig –allow-glx-with-composite
sudo nvidia-xconfig –add-argb-glx-visuals

Note que depois do xconfig são 2 traços ( – – ) seguidos. O wordpress junta-os parecendo só um.

09. Reinicie o computador e ficamos com a nossa gráfica instalada.

Anúncios

Compilar programas em Linux

Bom Dia.

Andava eu a ler algumas dicas para Linux e encontrei uma que eu tinha sempre dúvidas. Quais são os passos necessários para compilar um programa para Linux… Se bem que vem um ficheiro readme (e como o próprio nome diz – LEIA-ME :P) dentro do ficheiro zipado.

Vamos por mãos à obra 😀

Para a compilação de um programa são necessários 3 comandos básicos:

./configure
make
make install

O primeiro comando (./configure) é um script que irá configurar a compilação, isto é, faz uma pesquisa à procura de dependências, se existe algum compilador no sistema e se este compilador consegue criar executáveis e ainda procura outras exigências do próprio programa. Se algo de errado acontecer com esta pesquisa, o script automaticamente pára e mostra uma mensagem de erro. Estas mensagens são simples e directas, se uma pessoa perceber um pouco de ingles facilmente identifica o erro.

O segundo comando (make) vai juntar o (os vários) arquivo(s) “makefile” que é (são) criado(s) pelo configure. Nestes arquivos estão todas as configurações que vão ser aplicadas no momento da compilação, iso é, após iniciar-mos o “make”, a compilação começa, no configure nada está sendo compilado… ainda. Se acontecer algum erro (caso raro) temos várias opções: Mandar um mail ao pessoal que desenvolveu o programa, ou então poderá ser a falta de uma biblioteca que não foi verificada quando fez o ./configure. O processo de compilação poderá ser demorado conforme da aplicação.

Por fim, o terceiro comando (make install) é o mesmo que o “make install” mas com outra finalidade. É com este comando que vamos instalar os executáveis já compilados e outros ficheiros necessários ao programa. Como este comando instala um programa, é necessário que seja executado como root, pois o programa copia pastas que o utilizador “normal” não tem acesso de escrita.

Estes são os comandos básicos para se compilar qualquer programa em Linux. Convém é ler o ficheiro README ou INSTALL que acompanha o ficheiro zipado para mais detalhes.

ahhh antes que me esqueça, aqui deixo algumas dicas de ultima hora:

=> Existem programas que não trazem o tal script do “configure”, estes ficheiros normalmente são drivers. Quando tal acontecer, pode começar o processo de compilação pelo segundo comando.

=> Se gosta de ter o seu sistema organizado, pode utilizar um prefixo comum. Para utilizar este prefixo, adicione –prefix= no ./configure. Geralmente usa-se o –prefix=/usr, ficando o comando: ./configure –prefix=/usr

=> Para saber mais sobre o ./configure, digite ./configure –help

Espero ter sido util.
Este texto foi baseado num topic deste fórum.

Cump.
M.offspring.R

Personalizar o boot menu

Bom dia ou Boa Tarde/Noite (conforme estiver a ler este post)

Após um longo período sem colocar nada no blog, decidi fazer um mini tutorial de como personalizar o nosso boot menu do Ubuntu (penso que outras distribuições Debian based dê para fazer o mesmo). Neste tutorial é utilizado o grub.

Para iniciar este tutorial precisa de fazer o download do programa Start-Up Manager. Este programa pode ser encontrado aqui, ou então fazer o download pelo Synaptic (Menu Sistema > Administração > Synaptic).

Após o download, encontramos o nosso programa em Menu Sistema > Administração > Start-Up Manager.

Vamos observar as opções deste primeiro separador:

=> Timeout: Serve para inserir o tempo que o nosso menu está activo, ou seja, a duração do menu;
=> Default Operating System: Aqui seleccionamos o nosso sistema operativo a iniciar por defeito;
=> Display: Serve para definir-mos a resolução de ecrã e a qualidade de imagem;
=> Misc.: Serve para adicionar/remover componentes ao boot menu

No separador seguinte (Appearance – Aparência), temos os seguintes items:

=> Bootloader menu colors: Serve para editar as cores do nosso menu;
=> Bootloader themes: Serve para inserir temas ao nosso menu. Temas estes onde podemos também alterar a imagem de fundo;
=> Usplash theme: Serve para adicionar/remover temas.

Passando para o separador seguinte (Security – Segurança), aparecem estes items:

=> Protection options: Serve para adicionar/remover protecções ao menu, como por exemplo, adicionar/remover passwords;
=> Chage password: Serve para alterar a password (caso tenha inserido alguma no campo anterior).

Por fim, temos o separador Avançadas (Advanced):

=> Number of kernels: Aqui definimos a quantidade de kerneis a aparecer;
=> Misc.: Adicionar/Remover componentes ao menu.

Agora que temos o nosso programa explicado, vamos colocar em prática um exemplo.
Imaginando que o leitor tem uma foto sua e que quer adicionar ao boot menu. Para isso, siga os seguintes passos, já com o programa em execução:

01. No primeiro separador, alteramos a resolução para 1024*768 e a qualidade de imagem para 24 bits;
02. Vamos agora para o segundo separador (Apearance – Aparência), e na zona do Bootloader themes carregamos a frente do Grub background image:. Após um clique aqui, o leitor selecciona a imagem que quer ver quando o boot menu se inicializar.
03. Colocar o v no quadradinho que aparece por baixo do Bootloader themes
04. Carregar em Fechar e reiniciar o computador para observar as alterações efectuadas.

Como poderam verificar, isto foi um simples tutorial de como alterar um boot menu que à primeira vista parecia complicado 😀

Até à próxima.

Cump.
M.offspring.R

Verificar Bluetooth em ubuntu 7.04

Boa Noite(Dia/Tarde/Madrugada), conforme estiver a ler este post.

Desde sexta-feira tenho a andando a “martelar” sobre o meu dispositivo USB e tentar fazer a conexão entre o meu telemóvel (fazendo um pouco de publicidade Sony Ericsson T610 – Espero agora receber uns trocados pela publicidade :p ), e descobri algures no mar chamado “Internet” uma maneira de saber se o nosso dispositivo esta a ser reconhecido no nosso querido Ubuntu.

Vamos por mãos à obra:

01. Vamos reiniciar o processo bluetooth:

sudo /etc/init.d/bluetooth restart

Deverá aparecer algo como:
* Restarting Bluetooth services [ OK ]

02. Vamos agora tentar encontrar o nosso dispositivo bluetooth:

hcitool dev

Deverá aparecer algo como:
Devices:
hci0 00:0E:A1:05:49:7C

03. Iremos agora tentar detectar o nosso telemóvel:

hcitool scan

Ao carregar em Enter, o resultado devera ser:
Scanning …
00:0F:.DE:1A:B8:.DF      Nome_do_telemóvel

04. Neste passo vamos alterar algumas definições no ficheiro de configuração (não se assuste, é coisa pouca :p):

gksu gedit /etc/bluetooth/hcid.conf

-> alterar o “security user”, por “security auto” (sem as aspas ” “);
-> trocar a passkey “1234” (a que está por default) por uma à sua escolha. Se não pretender alterar a passkey, deixe estar o “1234”

05. Por fim, fazemos de novo um restart ao processo bluetooth:

sudo /etc/init.d/bluetooth restart

06. Chegamos ao fim. Para concluir este processo dirija-se a Aplicações > Adicionar/Remover Programas e procure na secção dos Acessórios o “Partilha de Ficheiros Bluetooth” e instale-o.

Espero ter ajudado em alguma coisa.

Cump.
M.offspring.R